A Parede que você não vê

Faz muito tempo que queria fazer um post mostrando um pouco dos bastidores do blog. Mas eu me enrolei, me enrolei e me enrolei mais um pouco, por motivo de: eu não sabia muito bem como e o que contar pra vocês, e muito menos se isso interessaria a alguém. Mas resolvi fazer o post mesmo assim e aí vocês me dizem se acharam legal ou para-com-isso-miga. Tem outro motivo pelo qual procrastinei pra fazer esse post (procrastinadores sempre acharão razões): TODA fucking vez que eu ia fotografar um tutorial eu pensava em tirar foto dos bastidores e acabava esquecendo. Mas, felizmente, em alguns dos últimos eu lembrei e acho que já dá pra ter uma ideia de como a bagunça toda é feita.

A Parede que você não vê

Algumas pessoas também me perguntam como eu faço as fotos, e meio que hoje vou contar um pouco o geralzão, mas eu prometo que tentarei fazer outros posts dando dicas e compartilhando o pouco que sei sobre fotografia (o pró aqui em casa é o Moysés, eu sei o suficiente para manter o blog haha).

Bom, então vou explicar tudo didaticamente que acho que fica mais organizado e fácil de entender:

1. Onde você faz as fotos?

Tudo é fotografado na minha casa (quem me dera ter um estúdio), mais especificamente no chão ao lado da janela da sala, que é o local mais iluminado e onde tem espaço (mínimo, mas relativamente suficiente). Como decidi fotografar apenas com luz natural, que considero melhor para o tipo de foto que faço no blog, posiciono tudo o mais próximo possível da janela. Há exceções, como nos casos em que preciso de um espaço maior ou uma parede, aí acabo usando outros ambientes. Mas, sinceramente, eu evito ao máximo esse deslocamento, porque acho a iluminação muito melhor nesse cantinho ao lado da janela.

2. Você tem móveis de várias cores?

Não. Eu monto cenários. O que significa que eu uso fundos como base para as composições. Os que tenho por enquanto são: folhas grandes de papel colorido, uma placa de foam e uma base de madeira (que montei com ripas de pinus e pintei de branco). “Mas pra que fazer isso ao invés de usar, sei lá, uma mesa?” Porque eu gosto de criar minieditoriais e “contar histórias” por meio das imagens, então todos os elementos devem estar coordenados, inclusive a cor e textura do fundo.

3. Como é o processo de composição das fotos?

Antes de desenvolver o DIY, eu penso nos elementos/objetos que vou precisar para compor as fotos do produto final. Se eu decido usar alguma coisa específica que não tenho em casa, como uma flor ou fruta, já tenho que agilizar a compra. Esses objetos portáteis que fazem parte da composição da cena (em fotografia, cenários, etc) são chamados de props, ou simplesmente acessórios. São justamente estes elementos que ajudam a contar a história. Eu considero isso parte essencial do que faço aqui no blog, e, inclusive, de vez em quando compro alguma coisa que acho que será útil para as fotos, como um copo bonito, um lápis diferente ou até um pano de prato mais elaborado.

4. Como você faz para deixar os objetos com pouca sombra?

Uso rebatedores gambiarra. A-há, por essa vocês não esperavam, hein? Tavam achando que era tudo profissa e cheio de esquema? Não, não. São apenas dois pratos de bolo laminados ancorados por 4 temporadas de Lost. HAHA. Ridículo, eu sei. Mas é o que temos pra hoje. O rebatedor tem a função de… TCHARAM! Rebater a luz. O que significa que a cena ficará o mais iluminada possível, de ambos os lados, reduzindo drasticamente as sombras. Mas então muita sombra é ruim? De forma alguma. Tudo depende do que você deseja nas suas imagens. Para o meu blog, escolhi produzir fotografias hiperiluminadas e até um pouco superexpostas (isso eu explico com calma em outro post), então eliminar um pouco das sombras é necessário para trazer o resultado esperado.

5. Que equipamento você usa para fotografar e como você edita as imagens?

Uso duas câmeras Nikon, a D90 e a D3300, e três lentes: uma Sigma 50mm f/2.8 macro, uma Nikkor 35mm f/1.8 e uma Nikkor 18-105mm f/3.5-5.6. Ah, também uso um tripé Manfrotto Compact Action. A edição das imagens, na maioria das vezes, é feita toda no Adobe Lightroom, e não é nada muito heavy metal, não. Faço pequenos ajustes e não uso nenhum preset ou filtro (já me perguntaram também). Algumas fotos do Instagram são feitas com meu celular mesmo, um iPhone 4S, e editadas nos aplicativos Snapseed e – raramente – VSCO Cam.

Bom, acho que no geral é isso! Nem preciso dizer, mas é claro que não fui eu que inventei essas manhas todas. Eu aprendi (e continuo aprendendo) lendo e observando a produção das creative bloggers gringas, que já vêm desenvolvendo conteúdo assim há vários anos (lá fora o nicho dos blogs de DIY me parece tão concorrido e profissional quanto o dos blogs de moda vem se tornando no Brasil). Muitas dessas blogueiras costumam compartilhar dicas e truques pra fazer e fotografar os tutoriais, então basta ter paciência pra fuçar que rola aprender bastante coisa. É claro que hoje em dia a maioria delas tem à disposição muito mais recursos e equipamentos do que eu. Mas pelo que vi todas começaram assim, no improviso, então por que eu deveria ficar de mimimi e me impor limitações pra não brincar disso também?

Mas não é porque é possível que é simples. Tudo o que faço aqui dá, sim, um trabalho lazarento, pois, além da parte técnica, a bagunça é inevitável. Como vocês viram, não tenho um espaço específico pra desenvolver os projetos de DIY nem pra fotografá-los e, muitas vezes, preciso mudar coisas de lugar, puxar móveis de outros ambientes e inventar paredes que não existem. Tem horas que olho ao redor e não tem um espacinho sequer arrumado. Me dá um minidesespero do tipo ‘QUE MERDA É ESSA QUE FUI INVENTAR?’. Mas, ao mesmo tempo, talvez a parte que mais gosto do que venho fazendo aqui no blog seja exatamente a criação desses microuniversos. É divertido, gente. E como diríamos todos nós na quarta série: quem inventa, aguenta!

Ufa, cabô! Espero que vocês tenham se divertido vendo um pouco do behind the camera do blog. Se tiverem alguma outra curiosidade, joguem nos comentários que tento responder e/ou fazer outro post complementar. Na real eu pensei em continuar mostrando os bastidores, eventualmente. Mais pela diversão, sem tanta explicação assim, até porque já contei quase tudo hoje. Vocês curtem? Ou nadavê? Fala que eu te escuto.